Adoção DevOps para Organizações

DevOps é a cultura que visa entregas rápidas e constantes de versões de softwares em desenvolvimento para atender prontamente as necessidades do negócio, para tornar empresas mais competitivas.

Em essência, esse modelo de adoção DevOps envolve mudanças culturais para promoção de um trabalho mais colaborativo entre as equipes de Desenvolvimento e de Operações, mas também mudanças técnicas que permitam validar e implantar alterações em um fluxo único, fluído e automatizado focado em velocidade e segurança na entrega de novas releases.

Nesse sentido, as ferramentas DevOps mais comumente utilizadas são OpenSource e o Instituto IntegraST, oferece um coleção de treinamentos que cobrem desde a cultura até especializações em ferramentas DevOps, organizamos de forma a atender todos os profissionais envolvidos no ciclo de vida de aplicações projetada em micro serviços.

Conceito: O que é DevOps?

Conceitualmente dizendo, DevOps é uma metodologia de desenvolvimento de software que utiliza a comunicação para integrar desenvolvedores de software e profissionais de infraestrutura de TI. Quem atua na área sabe que integrar esses setores é uma missão quase impossível.

Muitas empresas liberam novas versões de software com grande periodicidade, e, para conseguir a agilidade necessária para colocar as aplicações em produção, é imprescindível considerar as orientações DevOps.

Essa metodologia ficou conhecida como implementação contínua ou entrega contínua porque, ao padronizar ambientes de desenvolvimento, também auxilia as empresas no gerenciamento do lançamento de novas versões, além de controlar e de documentar a emissão de relatórios com diversidade de granularidade.

As empresas possuem problemas no processo de liberar e de implementar novas versões porque, na maioria das vezes, tudo é realizado manualmente, sem automação e, por isso, a quantidade e frequência de erros é alta. O seu maior desejo é conseguir ganhar flexibilidade para gerenciar e conduzir o processo de implantação de versão sem precisar editar tudo na linha de comando.

Para reduzir a incidência de problemas e aumentar a flexibilidade e a automação, foi definido que deverão ser utilizados recursos não operacionais e em ambientes que não estejam “em produção”. Assim, o desenvolvedor adquire maior controle sobre o ambiente, e a infraestrutura, maior entendimento sobre os aplicativos.

A metodologia DevOps é um dos aceleradores da transformação digital empoderando a colaboração entre todos os membros do projeto que passam a de forma simples e trabalharem dentro de um pipeline integrado. Qualquer membro da equipe consegue iniciar uma versão do software e seguir todo o fluxo de promoção da versão até o ambiente produtivo.

Com a evolução das aplicações para a arquitetura de Microservices, Containers e Cloud o DevOps tornou-se mais uma grande de apoio a estratégia das aplicações modernas. Uma próxima evolução do ciclo de DevOps, Monitoring é Observability ampliando a abordagem para a ótica da disponibilidade e confiabilidade dos serviços no ambiente produtivo conforme abordado na estratégia de SRE (Site Reliability Engineering).
Para que tudo isso seja possível, é importante salientar que muitas ideias e pessoas envolvidas com DevOps são oriundas dos movimentos de gerenciamento de sistemas empresariais e de desenvolvimento ágil de software (https://agilemanifesto.org/).
We are uncovering better ways of developing software by doing it and helping others do it. Through this work we have come to value: Individuals and interactions over processes and tools Working software over comprehensive documentation Customer collaboration over contract negotiation Responding to change over following a plan. That is, while there is value in the items on